POR QUE AS ESCOLAS DE INGLÊS NÃO TE ENSINAM DA MANEIRA CORRETA?

Por ter ajudado a milhares de pessoas, assim como o Fred, eu sei exatamente como é pedir para assistir o filme dublado, enquanto sua companhia que entende inglês prefere o legendado.

Eu sei como é não entender nada numa reunião de trabalho, quando começam a usar termos técnicos em inglês.

E sei at√© como √© o mico de tentar cantar uma m√ļsica em ingl√™s, sem na verdade nem imaginar que ela cont√©m termos obscenos!

E eu sei que voc√™ quer tirar esse inc√īmodo da sua vida, como quem quer entrar na mesma cal√ßa que usava aos 20 anos de idade.

Este peso que você carrega e acha que deveria ter tirado quando era jovem, mas tem medo de que agora seja tarde e não consiga mais.

Eu sei da sua vontade de aprender inglês e imagino que você esteja aqui porque quer MUITO mudar esta condição.

Felizmente, graças ao estudo desta técnica absolutamente nova, e talvez até estranha para algumas pessoas, agora é possível dar um basta a esta situação, como aconteceu com o Fred!

Trata-se de uma abordagem fora do convencional, que descobri em 2012 ao fazer uma viagem para os EUA em busca de um novo método.

Esta técnica, até então, era conhecida por apenas alguns pesquisadores de Cambridge e Oxford.

Era uma nova forma de ensinar ingl√™s para adultos e estava fazendo muito sucesso no ensino de ingl√™s do Leste Europeu e alguns pa√≠ses da √Āsia.

Sinceramente, eu nunca havia ouvido falar sobre nada parecido no Brasil.

Logo no primeiro contato, vi que eu mesmo havia aplicado boa parte do que vi no meu próprio processo de aprendizado, mas o que mais me surpreendeu foi a rápida sequência de construção e desconstrução do padrão linguístico!

COMO O C√ČREBRO APRENDE IDIOMAS?

A chave mestra deste método é a organização de exercícios envolvendo estruturas em inglês, como frases e formas de dizer coisas do dia-a-dia, para só então enriquecer o vocabulário gramaticalmente.

Mas por que ter uma sequência é tão importante?

A cada vez que voc√™ aprende uma coisa nova, seu c√©rebro destrava, ‚Äúreinicia‚ÄĚ, reconstr√≥i as liga√ß√Ķes neurais e entende todo o contexto de maneira diferente da anterior e mais otimizada.

E existem duas maneiras de alcançar este resultado: de maneira rápida e intuitiva, ou de maneira objetiva, que é muito mais lenta e provoca desmotivação ao longo do tempo.

Isto ocorre porque o cérebro é dividido em duas partes: o lado esquerdo, a que competem as tarefas racionais, lógicas, metódicas e analíticas. Ou seja, atividades objetivas. E o lado direito, onde transitam a maioria dos estímulos emocionais, criativos e até mesmo artísticos. Que são as atividades intuitivas.

Os neurocientistas já sabem há um bom tempo que nenhum dos lados desenvolve competências de forma isolada.

Algumas fun√ß√Ķes espec√≠ficas s√£o realmente desenvolvidas do lado esquerdo ou direito, mas a grande maioria das tarefas funciona tipo um mutir√£o. Cada √°rea do c√©rebro varia sua fun√ß√£o, dependendo da necessidade.

Para que você entenda melhor o que tudo isso tem a ver com o aprendizado do inglês, vamos usar como exemplo uma criança que ainda não tenha desenvolvido totalmente o lado esquerdo do cérebro.

A crian√ßa praticamente absorve tudo sem analisar logicamente, sem filtrar nada. √Č isso o que faz com que ela absorva o aprendizado sem na verdade perceber que est√° aprendendo.

Já quando um adulto aprende um novo idioma, inevitavelmente o lado esquerdo do cérebro acaba comparando o novo estímulo com seu idioma nativo, e isso gera um filtro em cada som que for captado.

√Č como se todo o som captado fosse comparado e aproximado a outros sons que ele j√° conhece.

√Č por isso que, para aprender ingl√™s de forma eficaz, √© preciso um m√©todo em que se trabalhe de forma objetiva e intuitiva ao mesmo tempo, otimizando as trocas de atividades entre os lados direito e esquerdo do c√©rebro.

Entretanto, o maior problema dos métodos tradicionais de ensino do inglês é que a sequência (quando existe) tende a exercitar somente as tarefas do nosso lado esquerdo, que guarda apenas memória de curto prazo, e nos faz demorar para aprender algo novo, principalmente depois da adolescência.

Esse é o principal motivo pelo qual você dificilmente iria aprender inglês depois dos 30.

Por isso você se sente travado na hora que ouve uma pessoa falar inglês ou na hora em que você quer conversar com alguém em inglês, mesmo que tenha estudado por anos.

Aliás...este ERA o motivo. Não é mais...rsrs

O segredo para a mudança é trabalhar as atividades mais voltadas ao lado emocional, que aceita o idioma como ele é, sem filtros ou bloqueios.

Essa é a base do método que chamo de Pomodoro: uma sequência intuitiva, com gestão do tempo de foco, que você certamente não conhecia, e que fará você falar inglês de forma definitiva.

Quanto mais o cérebro alterna estímulos entre o lado direito e o lado esquerdo no aprendizado de idiomas mais você absorve a fluência.

√Č isso o que o Pomodoro faz, mantendo os exerc√≠cios numa sequ√™ncia que faz com que seu c√©rebro aprenda naturalmente as estruturas (assim como uma crian√ßa), para em seguida enriquecer o vocabul√°rio.

O mais interessante √© a forma como os intervalos de estudo funcionam. A forma como a distribui√ß√£o dos conte√ļdos e pausas s√£o estabelecidos, ajuda a transformar a mem√≥ria de curto prazo em mem√≥ria de longo prazo.

Eu n√£o inventei a roda. Definitivamente, n√£o! Esse m√©todo √© a jun√ß√£o do m√©todo Pomodoro ‚Äď que √© um m√©todo de gerenciamento de tempo desenvolvido por Francesco Cirillo no final dos anos 1980 - com o m√©todo utilizado por grandes refer√™ncias no ensino de ingl√™s como Cambridge e Oxford.

A grande quest√£o √© que esse m√©todo vai na dire√ß√£o contr√°ria das escolas de ingl√™s, justamente porque promove um aprendizado prazeroso e din√Ęmico, que vai te ajudar a aprender da forma que voc√™ realmente precisa, sem se preocupar com a o perfeccionismo, ou com o medo de errar e, principalmente, sem fazer que voc√™ perca a motiva√ß√£o.

Com o m√©todo Pomodoro, voc√™ nunca mais vai precisar passar por estas situa√ß√Ķes:

  • depender da ajuda de algu√©m para traduzir alguma frase simples do dia a dia;
  • n√£o saber pedir algo para comer fora do Brasil;
  • n√£o poder fazer uma viagem internacional sozinho(a);
  • n√£o saber cumprimentar algu√©m de forma natural;
  • n√£o conseguir ver sua s√©rie favorita ou filmes sem legenda;

Em outras palavras…

√Č poss√≠vel aprender ingl√™s de forma f√°cil, sem inseguran√ßas, e sem medo.

Depois de descobrir tudo isso, eu simplesmente não conseguia mais guardar aquilo só comigo.

No começo, eu usei esta nova abordagem em treinamentos in-company para os quais eu era contratado e o sucesso foi incrível!

Eu era contratado, geralmente, para ensinar gramática e técnicas de leitura durante quatro ou seis meses.

De forma espantosa, com essa nova t√©cnica, j√° no partir do terceiro m√™s boa parte da turma j√° estava avan√ßada o suficiente para participar de conversa√ß√Ķes.

Ou seja, algo que demoraria meses ou anos para acontecer num curso tradicional.

Enquanto isso, eu via nas comunidades de idiomas das quais faço parte, cada vez mais pessoas entregando os pontos e desistindo de aprender inglês.

Isso porque o conte√ļdo dos cursos tradicionais, com seus m√≥dulos intermin√°veis, √© praticamente imposs√≠vel de ser absorvido, te fazendo perder anos sentado em uma sala, al√©m de uma quantidade absurda de dinheiro.

Eu me sinto revoltado de ver a fortuna que essas escolas tradicionais de idiomas cobram de seus alunos, enquanto ensinam métodos nos quais mais de 87% dos alunos desistem ou saem com apenas com o basicão.

Ent√£o...

Foi a√≠ que pensei: ‚ÄúPor que n√£o compartilhar essa t√©cnica com pessoas que tenham dificuldade para aprender e, principalmente, que tenham pressa? Por que mant√™-la restrita aos meus treinamentos in-company e aos meus amigos?‚ÄĚ

Aprender inglês é como plantar uma árvore.

Se você me perguntar qual é o melhor momento para começar, eu certamente vou te dizer que teria sido há alguns anos atrás.

Mas como não é possível voltar no tempo, eu te sugiro começar no segundo melhor momento possível. O momento em que você certamente não terá arrependimentos depois.

Assim como plantar uma árvore, o melhor momento para você eliminar seu bloqueio de falar inglês é AGORA!

E se, pra você, a ideia de aprender inglês de uma forma totalmente prática, sem precisar sacrificar a sua já lotada agenda, se dedicando apenas 25 minutos por dia, parece interessante, eu vou mostrar como fazer isso!

COMO VOC√ä PODE APRENDER INGL√äS DE MANEIRA R√ĀPIDA E INTUITIVAClique Para Continuar